Passeio de trem para o Topo da Europa em Jungfraujoch.

Jungfraujoch – Trem para o Topo da Europa na Suíça

O passeio a Jungfraujoch, no Topo da Europa, foi o mais bonito de todos que fiz durante meu Mochilão pela Europa. Há 3.454 metros acima do nível do mar, o passeio de trem para o Topo da Europa garante cenários de vilas pacatas com casinhas de madeira, névoa e vaquinhas com sinos nos pescoços.



Jungfraujoch – O Topo da Europa

O trem para Jungfraujoch, sai a partir da cidade de Interlaken, lá da estação chamada Interlaken Ost. Na lá estação você pode comprar seu ingresso, se já não tiver comprado antecipadamente pela internet.

Estação Ost em Interlaken
Estação Ost em Interlaken

A subida demora cerca de 2 horas. O trem faz paradas para troca de trem em Grindelwald, Lauterbrunnen e Klein Scheidegg onde você pode descer e conhecer essas cidadezinhas.

Junto com o ingresso você ganha um ‘Passaporte’ super fofo explicando sobre o Jungfraujoch. E quando estiver lá em cima, tem uma máquina em um canto meio escondido onde você pode carimbar seu passaporte.

Embarcando no trem a partir da estação Interlaken Ost, a primeira parada é em Grindelwald. Cuidado, imagens fortes e perigo de se apaixonar mais ainda pela Suíça.

Grindelwald, nos Alpes Suíços
Grindelwald

Depois de tirar milhões de fotos e morrer de amores por Grindelwald, embarque no trem em direção a Kleine Scheidigg. Essa cidade fica a 2.061 metros acima do nível do mar. Ai você já começa a sentir a altitude com um pouco de sonolência. Nesse ponto também você vai ver várias vaquinhas de sininhos e cenários incríveis.

Depois disso, o trajeto começa a ser percorrido dentro de túneis que leva cerca de 1 hora. O trem ainda faz duas paradas de 5 minutos cadas que serve para o pessoal ir se acostumando com a altitude e ainda você pode tirar várias fotinhos das geleiras a partir de pontos de observação.

E enfim, chega-se a Jungfraujoch – O Topo da Europa. Eu fui no verão e estava muito frio e nevando bastante. Tanto que não consegui tirar boas fotos das montanhas por conta de tanta neve que estava caindo. Por isso, vá bem agasalhado.

Jungfraujoch - Top of Europe
Jungfraujoch – Top of Europe

O complexo conta com algumas atividades bem legais pra fazer. Veja só!

»» Documentos para viajar para Europa : O que levar

Terraço Sphinx

Para chegar até o observatório meterológico Sphinx você precisa pegar o elevador mais rápido da Suíça que, em 25 segundos, leva você a 3.571 metros acima do nível do mar. Lá você tem acesso a um terraço que tem a vista da glacial Aletsch com 22 km de gelo. Se tiver sorte com o tempo, você pode ver montanhas da França, Alemanha e Itália.

E ainda lá você conta com umas aves amigas que ficam no meio das pessoas posando pra fotos.

Palácio de Gelo

Esculturas no Palácio do Gelo, em Jungfraujoch
Palácio de Gelo – Esculturas

O Palácio de Gelo foi a parte mais divertida, na minha opinião. É tudo feito de gelo, TUDO – menos o corrimão. Então vá com sapatos não escorregadios, porque até o chão é de gelo. Vi muita gente levando tombo lá dentro.

Personagem do filme A Era do Gelo
Personagem do filme A Era do Gelo

Graças a dois alpinistas que tiveram a ideia de esculpir esse glacial, com 1000 m², em forma de caverna, podemos hoje encontrar várias esculturas de gelo e túneis. Fora vários lugarzinhos legais pra tirar fotos.

Alpine Sensation

Alpine Station em Jungfraujoch
Alpine Station em Jungfraujoch

O Alpine Sensation fica em um corredor de 250 metros, entre o terraço Sphinx e o Palácio de Gelo. Lá eles contam a história e fazem homenagem aos mineiros que trabalharam arduamente para abrir o caminho até o topo da montanha.

Globo de Neve
Globo de Neve

Lá tem um globo de neve gigante com uma mini Jungfraujoch dentro. A disputa com os japoneses pra tirar foto aqui é árdua.

Platô Panoramico

Platô Panorâmico
Platô Panorâmico

Pra curtir a neve, vá até o Platô Panoramico. Em 3.475 metros acima do nível do mar, você tem a oportunidade de caminhar no meio da montanha, pisando na neve e passando muito frio.

Dizem que no verão ainda tem a opção do Snow Fun, mas não cheguei a ver. Talvez porque estava nevando muito.

Loja Lindt e Souvenirs

Loja da Lindt em Jungfraujoch
Loja da Lindt em Jungfraujoch

No final você da de cara com a Loja da Lindt. Faça a festa comprando os chocolates mais famosos da Suíça. Aberta todos os dias, das 10h às 17h.

Depois você pode dar uma passadinha na lojinha de Souvenir e garantir sua lembrancinha do Jungfraujoch.

»» Mochilão na Europa : Roteiro e agência de viagem

Ingressos

Trem para Jungfraujoch, o Topo da Europa.
Trem para Jungfraujoch

O valor da passagem depende muito da onde você está partindo. Se for a partir de Interlaken para Jungfraujoch, você vai pagar CHF 210.80 ida e volta. Pra quem tem Swiss Pass paga CHF 137.40 ida e volta. O preço é bem salgado, mas vale muito a experiência. 

Para saber mais sobre preços, informações e horários do trem para o Topo da Europa, clique aqui.

Hospedagem

Hospedagem em Interlaken
Balmers Hostel

Eu fiquei hospedada na cidade de Interlaken, no Balmers Backpackers Hostel. Achei o hostel bem localizado, apesar da cidade ser bem morta. Até porque eu acredito que o Hostel era o ponto principal do pessoal jovem da cidade se encontrar, já que existe uma balada no ‘porão’.

A cerveja no bar custavam certa de CHF 5 cada. E cada dia as músicas tem um tema diferente. 

Paguei uma facada pra lavar minhas roupas, CHF 5 para lavar e mais CHF 5 para secar. Mas tive que pagar mais uma vez para secar, porque na primeira as roupas ainda estavam bem molhadas. Mas o que não é facada nas terras suíças, né?!

Onde comer em Interlaken

Uma dica de um restaurante bem legal é o Gasthof Hirschen. Ele fica na mesma rua do Balmers Hostel, cerca de 3 minutinhos a pé. O restaurante em si já é uma belezinha, todo em madeira que retrata bem o estilo suíço. A comida é uma delicia. Recomendo experimentar o foundue de queijo e rosti.

Também tem um Irish Bar praticamente do lado do Balmers. Eu esperava que rolaria um agito, mas sem chance. Mas a comida parecia bem saborosa!

 

Booking.com

Arco do Triunfo é uma opção do que fazer em Paris.

O que fazer em Paris

Quando a gente pensa em Paris, logo vem na cabeça a Torre Eiffel. Não sei você, mas costumo pensar em Paris como uma cidade mágica, cheia de charme e histórias. Simplesmente encantadora.

E Paris é tudo isso e muito mais. A cidade da luz vai além da tão famosa Torre Eiffel. Ela é repleta de atrações que faz você perder vários dias passeando por aquelas ruas charmosas.



»» Mochilão em Paris

O que fazer em Paris

Antes de ir para Paris, eu não pensava em outra coisa além de conhecer a Torre Eiffel e tirar uma self com a Mona Lisa. Aliás, esse era o meu objetivo em Paris. Mas Paris tem muito mais do que isso para oferecer. Ela está cheia de história em seus diversos monumentos, igrejas, museus e até mesmo nos parques.

Torre Eiffel

Torre Eiffel é uma opção do que fazer em Paris.
Torre Eiffel

Difícil conhecer alguém que nunca sonhou em ver a Torre Eiffel de perto. Linda e deslumbrante, os turistas quando chegam em Paris ficam ansiosos buscando ela por todos os lados. E quando a vêem, se apaixonam com tamanha beleza.

Você pode subir na Torre Eiffel através de escadas ou pelo elevador. Mas já deixo avisado que se você optar pelas escadas, terá que enfrentar 1.665 degraus. A vantagem de utilizar a escada é o preço ser um pouco mais baixo e a vista da cidade mais bonita.

»» Documentos para viajar para Europa: O que levar

Prefira ir logo de manhã, quando as filas estão bem menores. A tarde lota e você pode gastar 2 horas na fila. Ou, se preferir, antecipe a compra do seu ingresso pela internet. Mas fique atento para comprar com 2 meses de antecedência, pois eles se esgotam rápido.

O valor para ir até o Sommet (último andar) é de 17 euros, e para ir apenas até o segundo andar é de 11 euros. Clique aqui para comprar diretamente no site da atração.

Horário:

De 15 de Junho a 1 de Setembro das 9:00 até 0:00.
Resto do ano das 9:30 até 23:00.

Museu do Louvre

O Museu do Louvre não pode faltar no seu roteiro do que fazer em Paris.
Museu do Louvre

O Museu do Louvre é algo imperdível para incluir na sua lista do que fazer em Paris. Prepare o self porque é lá que a dona Mona Lisa se encontra 😉 Além do prédio ser lindo por fora, as pinturas, esculturas e monumentos que mostram histórias de centenas de anos são incríveis.

São mais de 300 mil itens. Se possível, reserve um dia inteiro para visitar o museu. Se não, separe as principais coisas que deseja ver e estude o mapa antes de ir para não se perder. Eu levei minhas anotações e as alas onde eu iria encontrar cada, e consegui fazer em 2h30m.

Se o seu objetivo for ver a Mona Lisa de perto, sem milhares de pessoas disputando um espacinho com você, chegue cedo. Eu cheguei às 8:30 e já tinha uma filinha aguardando o museu abrir. Assim que abriu, eu corri em direção a sala em que a pintura está. E consegui minha self 🙂

Visitar o quadro Mona Lisa é uma opção do que fazer em Paris.
Mona Lisa

Horário:

Segunda, Quinta, Sábado e Domingo das 9:00 até 18:00.
Quarta e Sexta das 9:00 até 21:45.
Terça-feira é fechado.

Preço: 17 euros. Compre diretamente aqui.

Arco do Triunfo

O Arco do Triunfo é uma dica do que fazer em Paris.
Arco do Triunfo

É o segundo monumento mais representativo de Paris, depois da Torre Eiffel. Os seus 50 metros de altura, base de 45 por 22 metros conta muita história das vitórias do exército francês comandadas por Napoleão.

Napoleão foi o cara que ordenou a construção do Arco do Triunfo em 1806. Mas a construção só terminou 30 anos depois, durante o mandado de Louis-Philippe.

»» Como ir a Paris através do Ferry

O Arco do Triunfo viu muitas histórias importantes acontecerem, com destaque a passagem dos restos mortais de Napoleão em 1840 e aos desfiles militares das guerras mundiais em 1919 e 1944.

Você também pode subir no Arco do Triunfo. De lá, você consegue ver a impressionante vista da confluência das 12 principais avenidas de Paris. São 286 degraus para chegar até o alto. Haja fôlego pra tanta escadaria de Paris!

Horário:

De 1° de Abril a 30 de Setembro das 10:00 até 23:00.
Restante das 10:00 até 22:30.

Preço: 12 euros adultos e grátis para menores de 18. Compre aqui.

Champs-Élysées

A avenida Champs-Élysées é uma opção do que fazer em Paris.
Avenida Champs-Élysées

Essa avenida não pode faltar na sua lista do que fazer em Paris. A Champs-Élysées é uma das avenidas mais bonitas e caras do mundo. Localizada em frente ao Arco do Triunfo, ela é repleta e lojas de grifes, restaurante, cafés e muito turista. Tem até carros esportivos, caso você queira dar uma voltinha por Paris em grande estilo.

Sacré-Couer

A Basílica Sacre-Coeur não pode faltar na sua lista do que fazer em Paris.
Basílica Sacre-Coeur

A igreja de Sacré-Couer fica localizado em Montmartre, um dos bairros mais legais de Paris. O legal dessa igreja são as escadarias. No verão, dá pra terminar o dia sentado nas escadarias, fazendo um piquenique e admirando a vista incrível que você tem de Paris de lá de cima.

»» Mochilão na Europa: Roteiro e agência de viagem

Além disso, as ruas que antecedem a Sacré-Couer são ótimas pra você adquirir várias lembrancinhas. Os preços são os melhores, comparados a outros lugares de Paris. 

Horário: Das 6:00 até 22:30.
Entrada gratuita.

Catedral Notre Dame

O que fazer em Paris: Catedral Notre Dame
Catedral Notre Dame

A Catedral Notre Dame é também um grande ícone de Paris, e não pode ficar de fora da sua lista de coisas para fazer em Paris. Construída em 1163, a Catedral Notre Dame foi palco de cenários importantes na história, como a coroação de Napoleão e a Revolução Francesa.

O acesso a Catedral é gratuita. Mas se quiser subir até o topo, terá que pagar 8,50 euros.

Horário: Das 8:00 até 18:45. 

Cabarés – Show de Can Can

Uma das opções super divertidas do que fazer em Paris é ir assistir um show de Can Can em um Cabaré. A apresentação é muito legal. Com artistas de saias coloridas, plumas e e muito glamour. O cabaré mais famoso é o Moulin Rouge, mas também existem inúmeras opções legais e mais baratas para ir.

Igreja de Warnemüde

Warnemüde : A veneza báltica alemã

Desta vez o navio Regal Princess está atracado em Warnemüde, na Alemanha. Gostaria de pedir desculpas por demorar tanto tempo entre uma publicação e outra, afinal vida de crew é assim mesmo. Se você quiser acompanhar mais relatos sobre trabalhar em navio, clique aqui!


Warnemüde

Canal de Warnemüde
Canal de Warnemüde

Warnemüde em português boca de Warnow, um rio do estado de Mecklemburgo. A cidade é banhada por águas bálticas. Fundada há 818 anos, era apenas um vilarejo de pescadores e hoje é considerada um dos maiores resorts e atrai uma grande movimentação de navios cruzeiros do mundo (a gente pira).

Ao sair do navio me deparei com uma praia de areia branca e macia assim como a das praias brasileiras. Um clima receptivo e aconchegante, e um calor semelhante ao do rio de janeiro. Poucos metros dali é possível pegar um trem para Berlim ou outros lugares da Europa.

Centro

Centro de Warnemüde
Centro de Warnemüde

Warnemüde tem um o centro movimentado, com dezenas de bares, restaurantes e lojas com todo tipo de coisa que você pode imaginar desde câmeras fotográficas de 100 anos até a baiacus para colocar em seu aquário. Os bares localizados a beira do canal são super convidativos, além de te presentear com uma bela vista de barcos a velas e pequenas embarcações que por ali passam em direção ao mar. Centenas de atrações ocorrem por ali o tempo todo como estatuas vivas, músicos fazendo um som sensacional usando apenas taças com água.

Warnemünde Lighthouse

Seguindo o trecho do canal, você consegue avistar o famoso farol Warnemünde Lighthouse. Por apenas 2 euros você pode subir até o topo e ter uma vista do mar e da cidade que são de tirar o folego.

Igreja de Warnemünde

Igreja de Warnemüde
Igreja de Warnemüde

A região da belíssima e famosa Igreja de Warnemünde causa uma inevitável vontade de viver ali pra sempre. Por ali, você vai encontrar casas lindas e todas adornadas por jardins e árvores floridas.

Estatua Esperanza (Hoffnung)

Dezenas de monumentos como a estatua Esperanza (Hoffnung) a sereia de braços abertos dando as boas vindas aos aventureiros do mar que estão chegando a cidade.

[CLIQUE AQUI] E ganhe um CUPOM DE DESCONTO para seu Seguro Viagem

[CLIQUE AQUI] E confira opções de Hospedagem em Warnemünde

Documentos para viajar para Europa

Documentos para viajar para Europa : O que levar

Documentos para viajar para Europa são uma das preocupações de viajantes. O carimbo no passaporte dando acesso ao seu país de destino é, talvez, uma das maiores preocupações para quem vai viajar a turismo ao exterior. Apesar da maioria dos países europeus “facilitarem” a entrada de brasileiros, é muito comum que eles solicitem documentos que comprovem que você apenas está na Europa para turistar.

» Mochilão na Europa : Roteiro e agência de viagem



Documentos para viajar para Europa

Passaporte

O passaporte é um documento obrigatório. Se você ainda não tem seu passaporte, veja só como você pode tirar o seu. Mas se você já tem, fique atento a data de validade. Você precisa ter uma validade mínima de 6 meses após o término da sua viagem.

Se programe com antecedência para tirar seu passaporte. Em algumas cidades, a espera para agendamento pode demorar dias ou até mesmo meses. Leve ainda em consideração possíveis atrasos que podem ocorrer.

Visto

Brasileiros viajando a turismo por até 3 meses não precisam de visto para viajar para os países da União Europeia. Vale lembrar que nem todos os países da Europa fazem parte da União Europeia e nem todos fazem parte do Tratado de Schengen. Mas praticamente todos os países fora do bloco também não costumam exigir vistos dos brasileiros, como a Rússia, Turquia, Bósnia, Albânia, entre outros. Na dúvida, pesquise junto ao órgão oficial (consulado ou embaixada) sobre a exigência ou não de visto entre os documentos para viajar para Europa.

»» Dicas de Mochilão em Paris

Tratado de Schengen

O Tratado ou Acordo de Schengen permite a circulação de pessoas ao redor dos países que estão dentro deste acordo. Isso quer dizer que quando você passar por qualquer um desses países listados abaixo, você só precisará passar pela imigração uma única vez. Lembrando que o Reino Unido não está incluso neste acordo, ok?! 😉

Países que fazem parte do Tratado de Schengen

Áustria, Bélgica, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Noruega, Polônia, Portugal, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça, Grécia, Hungria, Mônaco e San Marino.

Seguro de Viagem

O seguro de viagem é essencial para quem vai viajar para o exterior, e até mesmo para dentro do Brasil. Mas se você está indo para os países que fazer parte do Acordo de Schengen, fique sabendo que o seguro de viagem é obrigatório. E não para por aí, eles ainda exigem que o seguro tenha uma cobertura mínima de € 30 mil que assegure assistência médica por doença ou acidente.

»» Seguro de Viagem Internacional – Você sabe como funciona?

Passagem de volta

Não se esqueça de também comprar sua passagem de volta antes da sua viagem para a Europa. Essa é um dos documentos mais requisitados pela imigração, e aconteceu comigo. Quando estava entrando no Reino Unido, vindo de Paris por ônibus, tive que passar pela imigração. A única coisa que me pediram foi a passagem de volta para o Brasil. E percebi que estavam pedindo o mesmo para todos que estavam passando pela imigração britânica.

Comprovante de Hospedagem 

Outra documento muito requisitado é o comprovante de reserva de hospedagem, sendo em hotel ou hostel. Na minha viagem pela Europa, eu fiz a reserva de todos os hostels através do Booking. Eles possuem a opção de cancelamento grátis até 1 dia antes da hospedagem. O que garante uma maior flexibilidade no planejamento da viagem.

Carta Convite

Caso você não for ficar em hotel, ou hostel, e irá ficar na casa de algum amigo que reside legalmente na Europa, você terá que correr atrás de uma carta convite. Você terá que pedir a seu amigo correr atrás pra ver se terá necessidade de registrar a carta convite em algum órgão oficial do país.

»» O que fazer em Edimburgo, na Escócia ?

Comprovantes Financeiros

Existe a possibilidade da imigração solicitar que você comprove suas condições financeiras para se virar na Europa durante sua viagem. Você pode comprovar mostrando seu extrato bancário, comprovante de limite de cartão de crédito, extrato de cartão pré-pago de viagem e até mesmo mostrando a quantia em espécie. Geralmente, o valor médio diário é €65 por dia.

Documentos para viajar para Europa : Checklist

 Passaporte : Com validade de pelo menos 6 meses.

Seguro de Viagem : Cobertura mínima para países que fazem parte do Tratado de Schengen de € 30.000.

 Passagem Aérea : Comprar passagem de volta antes de ir para a Europa.

 Comprovante de Hospedagem : Reservas de hotel ou hostel, ou carta convite caso for ficar na casa de amigos. 

 Comprovantes Financeiros : Que mostrem que você tem money necessário pra se manter durante a viagem.


Booking.com

Mochilão em Paris

Meu mochilão em Paris começou com um tradicional café da manhã pariense. O café da manhã no Generator hostel foi uma delícia. Tinha pelo menos 3 opções de pães, café, suco e tudo mais. Estava tudo perfeito até que, quando terminei meu café, adivinhe?! Começou a chover !



Mochilão em Paris

Paris está chovendo. E agora ? Até esperei um pouco, mas tinha hora agendada com a Dona Monalisa. E meu maior objetivo do meu mochilão em Paris era tirar um self com ela. Tipo, só eu e ela. Exclusiva. Não eu, ela e todos os turistas de Paris. Sorte a minha que segui conselho de mãe e coloquei uma sombrinha na mala – mães nunca falham. Como diz o ditado ‘se tá na chuva, é pra se molhar’, e fui atrás da Mona.

»» Como ir a Paris através do Ferry

Como eu tava atrasada, e com o pé arrebentado, decidi não arriscar e fui de metro. Aí que veio meu primeiro desafio: pedir informação em francês. Mas ai que tá, a única coisa que sei em francês é Bonjour. E olhe lá!

Então o que você faz quando só tem um francês no metro, você está atrasada pra ver a Mona e tá super perdida pra que direção seguir? Use a língua universal: mimica!

Sim, mimica. De um lado o cara falando em francês usando as mãos, de outro eu falando em inglês também usando as mãos. E não é que deu certo? E no final ele ainda falou algo do tipo : ‘brazilian?’, respondi que sim, demos risadas e cada um seguiu seu rumo. E eu fui em direção ao Museu do Louvre.

Self com Monalisa

Descendo da estação, dei de cara com o Museu do Louvre. Lindo, gigante e majestoso. E a chuva tinha piorado. Eu cheguei às 8:30, e o museu abria só às 9 horas. Mesmo assim decidi seguir para a fila. Rapidamente a fila foi só aumentando. E a chuva também. As pessoas começaram a resmungar porque o pessoal que estava organizando a fila não sabia se a fila era de um lado, ou de outro. No final liberou tudo e todo mundo entrou no empurra empurra.

Eu já havia estudado o mapa do museu várias vezes. Já sabia o que visitar, e principalmente como achar a Dona Monalisa. Fui correndo igual louca desesperada (mas com classe, ou não) até lá. Com direito a paradinhas rápidas pra alguns cliques, e continuava a jornada pra chegar até o quadro mais famoso da história.

E enfim, cheguei. Lá estava ela, Monalisa em seu quadro toda linda e triunfante. O quadro é bem menor do que todos imaginam, e com cores mais fortes e vibrantes. Sim, consegui minha self com a Mona 😀

Museu do Louvre - Self com a Mona
Mochilão em Paris – Self com a Mona

Havia poucas pessoas na sala, não passavam de 10. Ai tirei várias selfs só pra garantir né. Meia hora depois, pra variar eu tava perdida e acabei passando por ali de novo. A sala já tava brotando gente do chão!

Rolê pelas ruas de Paris

Depois de quase 3 horas perdida dentro do museu, fui em dar um rolê pelas ruas de Paris. Passei pela Ponte das Artes, onde fica cheio de cadeadinhos. E então, fui para a Catedral de Notre Dame. Estava lotade de gente, então resolvi nem entrar.

Estava cedo ainda, e então decidi ir ver a Torre Eiffel. Eu já tinha comprado o ingresso antecipado pela internet, mas estava agendado para 16h30m. Passei por toda aquela file e segurança, e tudo mais. Mas quando entrei na fila pra subir na Torre Eiffel, não me deixaram. Isso o porque ainda era 13hr da tarde. Que jacuzona né?!

Voltei pro metro e parti em direção a Sacre-Coeur. Morri de procurar pato com laranja. Como eu já tava verde de fome, almocei em frente ao monumento. Um prato + taça de vinho ficou em 15 euros.

»» Mochilão na Europa : Roteiro e agência de viagem

Depois de tirar fotinhos e adquirir várias lembrancinhas fofas ali por perto, parti em direção ao Arco do Triunfo. Gente, aquela rua que cerca do Arco do Triunfo é uma loucura! E mais loucura ainda é atravessar essa rua pra chegar perto do Arco. Mas, vale muito a pena!

Bem em frente do Arco do Triunfo, fica uma das ruas mas chique do mundo : Champs Élysées. Essa rua tem centenas de boutiques, carros de luxos com precinhos ‘bacanas’ pra dar uma volta, cafés e restaurantes. A rua é bem bonita e extremamente movimentada de turistas.

Enfim, Torre Eiffel

Enfim, parti ao encontro da Torre Eiffel. Após enfrentar de novo fila da segurança e fila pra pegar o elevador, consegui embarcar no elevador pra subir na torre mais famosinha. Eu MORRO de medo de altura, mas fiz questão de achar um canto meio apertada na janela pra poder ver a vista enquanto subia. Aquele gelo tomou conta da minha barriga, enquanto o medo, ansiedade e a vontade de chorrar de felicidade brigavam entre si. A subida é rápida, e logo pude ver Paris lá de cima. E aquela ficha caiu: Eu tô na Torre Eiffel .. em Pariiis !! kk

Torre Eiffel em Paris
Vista através da Torre Eiffel

Meu mochilão em Paris terminou na Torre Eiffel. A vista lá de cima é imperdível. Tem aquela sensação de vitória, que recomendo para qualquer viajante. Fiz meu mochilão em Paris praticamente sozinha – fui com a TopDeck mas explorei a cidade sozinha.

Conclusão do meu Mochilão em Paris

Vi monumentos lindos, quadros históricos, me chateei pela situação tão triste dos refugiados, falei em mimica, me diverti sozinha. Descobri Paris e me auto descobri.

Com o pé arregaçado, costa quebrada e olheira do Tio Chico. Mas com o sorriso no rosto, porque a maior recompensa é você vivenciar um sonho. E fica aqui, um gostinho de quero mais de Paris.

Intercâmbio : Aprender Espanhol

Intercâmbio: aprender espanhol gastando menos

No ranking dos idiomas mais procurados, a língua espanhola está em 2º lugar, de acordo com uma pesquisa feita pela BELTA (Associação de Intercâmbios). O desejo por aprender espanhol fica atrás somente da língua inglesa que é o 1º no topo. O francês ocupa a 3º colocação.

Saber falar “¡Hola! ¿Qué tal?” (“Olá! Tudo bem?”) é o sonho de milhares de brasileiros, que têm à disposição um leque repleto de destinos para aprender. De acordo com o especialista em carreira e educação internacional e diretor da IE intercâmbio, Marcelo Melo, os destinos mais próximos e atraentes são Argentina e Chile, porém, há opções como a Espanha também.



Entre os nossos vizinhos latino-americanos, é possível aprender espanhol em cidades como Buenos Aires, Córdoba, Puerto Madryn e Ushuaia, na Argentina; e Santiago, no Chile. Na Espanha estão as cidades “direto da fonte”, como Barcelona, Palma de Mallorca, Alicante e Madri.

“Depois do inglês, saber falar espanhol é requisito para o mercado de trabalho. Por isso, a grande procura. E, os aspectos que mais influenciam na escolha do destino estão o câmbio favorável, a qualidade de vida, a relação estudo e trabalho, a infraestrutura de acolhimento dos alunos e a facilidade no processo do visto”, explica Marcelo.

Aprender Espanhol

Aprender Espanhol no Chile
SANTIAGO DE CHILE, CHILE

Entretanto, uma viagem de intercâmbio não se define apenas no destino. Mas, também em tudo o que os estudantes ali poderão explorar. Já em termos culturais, cada país tem suas particularidades e encantos, além das diversas opções de passeios, vida cultural, gastronomia e etc.

Confira as dicas da IE intercâmbio de alguns dos destinos mais procurados para aprender espanhol:

Argentina

Algumas cidades são famosas e conhecidas por suas particularidades e pontos turísticos. Nossa vizinha tem atraído os intercambistas devido à sua proximidade com o Brasil e a possibilidade de viver uma imersão cultural sem ir muito longe. Também é um país adaptado para recepcionar pessoas do mundo todo. As opções na terra de “los hermanos” são:

Buenos Aires

2 semanas de curso de espanhol (25 lições/semana);

2 semanas em casa de família, quarto individual, café da manhã;

Taxa de matrícula;

Parcelas a partir de R$ 486,51

Córdoba

4 semanas de curso de espanhol (25 lições/semana);

4 semanas em casa de família, quarto individual, café da manhã;

Taxa de matrícula;

Parcelas a partir de R$ 707,64

Alicante

2 semanas de curso de espanhol (25 lições/semana);

2 semanas em casa de família, quarto individual, café da manhã;

Taxa de matrícula;

Parcelas a partir de R$ 368,18

Chile

Situado na América do Sul, o Chile é um dos países que mais atraem os brasileiros por conta do valor da moeda e da proximidade territorial. Um país cercado de montanhas com características europeias mescladas com raízes latinas.

Santiago

4 semanas de curso de espanhol (25 lições/semana);

4 semanas em casa de família, quarto individual, café da manhã;

Taxa de matrícula;

Parcelas a partir de R$ 798,89

Espanha

O destino é possui uma localização privilegiada e chama atenção devido ao fácil acesso para os países vizinhos. As opções para o intercâmbio na Espanha variam de Norte a Sul. Por ser um país rico em tradições regionais, histórias, gastronomia e culturas, os estudantes podem escolher como destino:

Palma de Mallorca

2 semanas de curso de espanhol (25 lições/semana);

2 semanas em casa de família, quarto individual, café da manhã;

Taxa de matrícula;

Parcelas a partir de R$ 406,52

Madri

2 semanas de curso de espanhol (25 lições/semana);

2 semanas em casa de família, quarto individual, café da manhã;

Taxa de matrícula;

Parcelas a partir de R$ 422,88

Sobre a IE intercâmbio

A IE é uma das maiores redes de intercâmbio cultural do Brasil, com agências de norte a sul do país. Especialista em intercâmbio de estudo, trabalho ou universidades no exterior é uma das empresas mais reconhecidas e tradicionais do segmento. Para estudar no exterior, fazer high school, viajar nas férias ou ter uma experiência de trabalho, a IE oferece intercâmbios para todas as idades. Acesse o site Oficial: www.ie.com.br

Redes Sociais IE intercâmbio

 https://www.facebook.com/IEintercambio
 https://www.instagram.com/ieintercambio/
 https://twitter.com/ieintercambio 
 https://www.youtube.com/user/ieintercambio 

Divulgação: Rojas Comunicação

Tel. (11) 3675-4940

Como ir a Paris através do Ferry

Como ir a Paris através do Ferry

Paris foi a primeira parada do meu Mochilão pela Europa, através da IE Intercâmbio e a TopDeck. Comentei sobre o mochilão aqui.

O ponto de encontro para início do tour foi em Londres, no Wombats Hostel. Por volta das 7 da manhã a nossa ‘gangue’ se encontrou na recepção do hostel. A Morgan, nossa guia, verificou o passaporte de cada um e mandou a gente ‘despachar’ a mala no nosso busão TopDeck.



Paris através do Ferry

Como estavamos em um busão, iriamos de Londres à Paris através do Ferry. O Ferry nada mais nada menos é fazer a travessia no English Cannal através de uma balsa.

De Londres, partimos em direção a Dover. Até lá é rapidinho, cerca de 1h30m de viagem. Ao chegar lá, passamos pela imigração francesa. Acho que a imigração foi dividida em 3 partes. A primeira só fizeram algumas perguntas pro motorista e pra Morgan, que falaram que estávamos em um tour. A segunda, retiraram 6 malas aleatórias para passar por aquela esteirinha de segurança, igual de aeroporto. Quem teve a mala escolhida, teve de descer do ônibus. E a última, dois agentes de imigração entraram no ônibus para “olhar” o passaporte de cada um. Só olharam mesmo, porque ninguém conferiu nada e nem olhou pra cara de ninguém. E infelizmente, nada de carimbar o passaporte #sadface.

Depois de passar pela imigração, ficamos esperando uns 20 minutinhos até que liberassem a gente entrar no barco. O barco que faz a travessia é gigante. Não me lembro se tem 2 ou 3 andares só pra compartimento de carros e ônibus. E em cima disso, tem mais uns 3 andarem com restaurantes, café, lojinhas, sala de jogos e tudo mais. Além disso, a travessia te proporciona uma vista incrível!

Café da manhã no Ferry.
Café da manhã no Ferry

A travessia de Paris através do Ferry dura certa de 1h30m. Assim que você avistar uma ilha, já se dirija para a porta. Eles também avisam quando estiver chegando.

Uma coisa que achei super engraçado, foi quando deu a hora de abrir a porta. O pessoal vai tudo pra perto da porta, obviamente. Ai do nada, vem um cara da tripulação, bem alto e bem magro, meio irritado e pedindo licença. Com passos acelerados ele simplesmente se jogou na porta com tudo! Pensei ‘Noooooffa !’. kk

Assim que a porta foi ‘aberta’, a gente voltou pro ônibus. A travessia de Paris através do Ferry termina em na cidade de Calais, de onde continuamos nosso caminho da roça rumo a Paris.

Paris

Por volta das 17 horas chegamos a tão esperada e deslumbrante Paris. Confesso que a entrada de Paris não é nada legal, e deixa muito a desejar. Ela é cercada por lixos e desorganização. Sem contar que logo ali você já percebe que a quantidade de refugiados é gigantesca. É muita gente dormindo nas ruas e pedindo ajuda.

Conforme você vai seguindo pra dentro de Paris, a cidade vai se ‘maquiando’. A parte mais bonita é o centro, onde as atrações turísticas se localizam.

Nós ficamos hospedados no Generator Hostel. Tivemos um tempinho pra banho e se arrumar. E aí, partimos pra um super TopDeck Picnic no Campo de Marte, praticamente em baixo da Torre Eiffel.

Eu já tava pirando de tanta ansiedade. Foram anos imaginando e sonhando com esse grande encontro. E eu estava há poucos metros dela. Cada vez mais perto. E de repente, quando olho pra janela do ônibus, eu há vejo: Torre Eiffel ! Tão linda, tão grande, tão majestosa. Eu simplesmente fiquei sem reação. Só satisfação de, enfim, realizar esse momento.

Deixando de lado o momento melancólico, chegou a boa hora do dia. Picnic !!!

Gente, que mesa MARA que a TopDeck montou! Eles colocaram cadeirinhas pra gente sentar em forma de círculo e a mesa cheia de delícias na frente. Tinha muita comida francesa gostosa. Pães, frios, queijos, doces e até escargo. Tudo isso com um cenário privilegiado da Torre Eiffel. Like a boss lady 😉

Picnic em Paris
Picnic em frente a Torre Eiffel

Depois de encher a pança, e tirar váaaaarias selfs com a Torre Eiffel, voltamos para o Hostel. O Generator Hostel tem um Rooftop de dar gosto viu. De lá tive um pôr do sol de Paris incrível, com a Sacre-Couer de fundo. Além disso, eles ainda tem um barzinho no térreo e baladinha no sub-térreo. Diversão é o que não falta 😉

 

Vista de Sacre-Coéur no rooftop do Generator Hostel
Sacre-Cóeur

Muitos de nós decidimos ir dormir cedo pra recompor as energias. Afinal, o próximo dia era livre pra explorar a cidade. Mas com direito a um show de Cabaré a noite. Te conto na próxima 😉

O que fazer em Edimburgo

Durante meu mochilão pela Europa, posso dizer com toda certeza que Edimburgo foi a cidade que mais me apaixonei. Eu adoro história. Edimburgo é tudo sobre isso. A cidade ainda guarda visualmente as marcas das histórias em sua arquitetura linda!

Veja Mais ! → Mochilão na Europa : Roteiro e agência de viagem

Edimburgo

Edimburgo, capital da Escócia, é conhecida por seus castelos medievais, Whisky e a famosa tradição de kilt e som de gaita.

Apesar de ser a capital da Escócia, Edimburgo é uma cidade pequena. Então, você pode escolher seus pés como meio de transporte. Mas POR FAVOR, não seja cabeçuda igual eu e leve sapatos confortáveis.

Essa cidadezinha é agraciada pela sua rica cultura e muita história. O cenário conta com becos estreitos de paralelepípedos, casas e prédios históricos e além de tudo possui mais de 4.500 prédios que fazem parte do Patrimônio Mundial da UNESCO.

Se você curte história, o cenário incrível de Edimburgo já é motivo bastante pra você incluir essa cidadezinha no seu roteiro. Fora isso, você ainda pode dar um talento no seu roteiro e aproveitar pra curtir essas atrações super bacanas que separei sobre o que fazer em Edimburgo. Veja só!

Edinburgh Castle

Não tem como você ir a Edimburgo e não ir no Castelo de Edimburgo. Esse lugar, meu filho, você precisa colocar na sua listinha. Confie em mim! 😉

O Castelo fica no lado oeste da rua Royal Mile. Na época, escolheram construir o castelo no alto de uma rocha vulcânica, chamada de Castle Rock. Foi uma boa estratégia defensiva, pois lá do alto é possível enxergar boa parte da cidade.

Dentro do castelo, você poderá encontrar diversos canhões. O mais famoso é o One o’Clock Gun. Todos os dias (exceto no domingo) ele é disparado pontualmente às 13 horas. Imperdível!

Além disso, você poderá ainda ver o National War Museum, St. Margaret’s Chapel, Royal Palace e Scottish National War Memorial.

Reserve pelo menos umas 3 horas para visitar o castelo. Acredite, é MUITO grande. E você ainda poderá disputar filas e lugares para fotos com caravanas e mais caravanas de japoneses e afins.

Uma dica é comprar o ingresso online. O ingresso adulto está £17.00, e você poderá comprar diretamente pelo site do Castelo de Edimburgo clicando neste link.

Palace of Holyroodhouse

Esse é outro lugar que eu acho que você deveria também visitar ein. O Palace of Holyroodhouse fica do ooooutro lado da rua Royal Mile. Então numa ponta fica o Edinburgh Castle e do outro o Palace of Holyroodhouse.

Esse palácio é uma das casinhas da nossa querida Rainha Elizabeth, que geralmente passa uns dias lá no verão.

O Palácio foi fundado em 1128 e já sofreu algumas mudanças na sua arquitetura, principalmente nos séculos XV e XVIII. O Palácio de Holyroodhouse tem grande importância na história da Escócia, pois já foi morada de grandes reis e rainhas, incluindo a Rainha Mary.

A visita ao Palácio inclui o quarto de Mary, os apartamentos dos estados, galeria da rainha e obras da coleção Real.

Alerta para os tiradores de self de plantão: dentro do Palácio é proibido tirar fotos!!
Mas relaxa, que na parte de fora você poderá tirar diversas fotos. O jardim do Palácio é lindo !

A entrada com direito a visita no Palácio e no The Queen’s Gallery está £21.50, e só com direito ao Palácio é 11,30 libras. Ambos os ingressos dão direito ao audioguia. Clique aqui !

Scott Monument

Esse monumento não tem como não ver. Assim que você chegar em Edimburgo, provavelmente você verá essa coisa linda toda imponente e reluzente.

O monumento é dedicado ao grande escritor escocês Walter Scott. Localizado na Princess Street, o monumento foi construído em forma de torre gótica com 60 metros de altura.

Se tiver fôlego, você pode subir os 300 degraus e ter uma visão privilegiada de Edimburgo.

St. Giles Cathedral

Se você estiver passeando pela Royal Mile, com certeza verá essa catedral. Ela é um dos mais importantes templos religiosos de Edimburgo, considerada a igreja matriz do presbiterianismo. É linda !

Sua arquitetura chama muito atenção por conta do seu estilo gótico percorrendo seus 15 metros de altura de pura lindeza.

The Royal Mile

Até agora falei, falei, falei da Royal Mile mas nada de explicar direito o que é né. Sacanagem!

A Royal Mile nada mais é do que umas das principais vias de Edimburgo. A cidade cresceu ao redor dessa rua. Você provavelmente vai percorrer por ela milhões de vezes. Principalmente se você for um perdidão no seu roteiro, tipo eu.

Lá você vai encontrar as maiores atrações da cidade como o Castelo de Edimburgo, Palácio Holyroodhouse, St. Giles Cathedral, Whisky Experience e muitos outros. Você também encontra muitos artistas de rua e muitas coisinhas muito fofas para comprar. Ah, essa é a hora de você homem poder usar uma sainha xadrês, quer dizer, kilt. 😉 haha Por lá, você encontra diversas lojas que vendem essa roupitcha tradicional da cultura escocesa.

The Scottish Whisky Experience

Se você é alcoolatra, ops .. curte um bom e velho Whisky, ou apenas quer apreciar um pouco da cultura escocesa, coloque na sua listinha a visita ao The Scottish Whiskey Experience. Eu fui e gostei bastante da experiência.

O passeio começa em passeio dentro de um carrinho que conta um pouco da história e como é feito essa bebida. O passeio dura por volta de 5 minutos e você pode optar por escolher um audioguia em português, se preferir.

Depois dessa voltinha, o pessoal reúne uma turma pra falar sobre os diferentes Whisky de cada região da Escócia. E depois, parte pra parte mais legal de todas : degustação! Haha

E por fim, chegamos em uma sala onde está a maior coleção de Whisky do mundo, que anteriormente pertencia a um brasileiro. E no final, ainda ganhamos o copinho que foi servido o Whisky!

Planejando meu Mochilão na Europa

Mochilão na Europa : Roteiro e agência de viagem

Depois do meu intercâmbio Work Experience que fiz em 2012/2012 nos EUA, resolvi parar de procrastinar e mergulhar de cabeça pro meu próximo sonho : Mochilão na Europa, baby 😉

Diferente do meu primeiro intercâmbio, desta vez nem fiz grandes pesquisas sobre as agência e já fui direto falar com a Érica lá da IE Intercâmbios. Ela me passou várias opções de mochilão, opções de poucos e vários dias. Meu tempo é curto e terá que encaixar nas minhas férias, então escolhi o Europe Express.



TopDeck

Esse intercâmbio quem comanda é a empresa TopDeck que é de nacionalidade Australiana e tem o objetivo de projetar viagens inesquecíveis para pessoas com idade entre 18 e 30 anos. Eles oferecem pacotes de viagem com roteiros prontos para qualquer continente. A locomoção entre países ocorre dentro de um busão com ar condicionado e ainda a empresa oferece algumas refeições (dependendo do país), acomodação, guia de turismo e alguns passeios inclusos. Além, é claro (e espero), de muita festa!

Mochilão na Europa

Meu mochilão incluem os países: França, Suíça, Itália, Alemanha e Holanda. Mas fiquei sabendo que eles ainda dão uma paradinha na Áustria e em Bruges, na Bélgica.

Mochilão na Europa - TopDeck
Mochilão na Europa – TopDeck

Mas como vai sobrar alguns dias, resolvi dar um ‘talento‘ no meu roteiro por contra própria.

Não sei pra você, mas pra mim a conexão de voo já faz parte da viagem. Com isso, já aproveitei e busquei uma conexão de 13 horas da Delta lá em New York pra dar um rolê.

De New York, parte em direção a Londres e assim que chegar já pego outro voo para Dublin.
Vou passar 2 dias lá e partir em direção a Edinburgh, na Escócia.
De Edinburgh, volto para Londres passar meu aniversário.

E enfim, com muita ansiedade (e uma provável ressaca), vou conhecer a turma do bonde e partir em direção a Paris para a jornada do mochilão. Ah sim, vou viajar sozinha. Mas garanto que vou voltar com novas amizades e muita história para contar 😉

Já faz meses que estou planejando esta viagem. E a ansiedade só aumenta a cada dia. Um pouco mais de 2 meses, e terei muita coisa para contar.

Já fez mochilão na Europa? Mande dicas !! 😉

Estudar no Exterior - Países oferecem cursos gratuitos para graduação e pós graduação

Estudar no Exterior – Graduação e pós-graduação de graça na Europa

Estudar no exterior é o tema mais procurado nas agências de intercâmbio pelos brasileiros. Porém, os altos custos em relação ao curso e despesas extras acaba levando a desistência. Principalmente quando se trata de um curso de graduação e pós-graduação. Nos EUA o custo médio entre o curso de graduação e custo de vida é de US$ 65 mil por ano.



Já pensou estudar no exterior de graça?

Uma boa alternativa para estudar no exterior é procurar destinos alternativos. Alguns países da Europa oferecem cursos de graduação e pós-graduação gratuitos, ou quase.

»» Working Holiday na Nova Zelândia

Alemanha

Na Alemanha existem várias universidades públicas de renome internacional, e algumas delas são financiadas pelo governo. Se você não sabe nada da língua alemã, não se preocupe. Não é necessário saber falar alemão para estudar no país. O país oferece cerca de 900 cursos de graduação e pós-graduação que são ministrados em inglês. As opções de cursos são bastante abrangentes, que vão de engenharia a ciências sociais.

Suécia

Existem 35 universidades espalhadas pela Suécia que oferecem mais de 900 cursos ministrados em inglês. É preciso pagar somente uma taxa da matrícula para ingressar nos cursos. Para doutorado, os estudantes estão isentos da taxa de matricula.

Finlândia

A Finlândia oferece também vários programas universitários ministrados em inglês. O país não cobra taxas de matrículas e nem de mensalidade para cursos de graduação e pós-graduação. Porém, o governo finlandês exige que estudantes internacionais tenha condições para arcar com despesas pessoais. A Finlândia financia a educação, mas despesas de hospedagem e alimentação são por conta do aluno.

»» Faça MBA no exterior

França

Os cursos de graduação ministrados em inglês da França são geralmente oferecidos por universidades particulares, assim o curso é muito alto. Mas existem cursos para pós-graduação que são mais acessíveis. Você pode conferir uma lista destes cursos disponíveis no país através do site Study Portals. Existe ainda a possibilidade de realizar um curso em francês em uma universidade pública, tendo o estudante que desembolsar uma pequena mensalidade – cerca de 200 dólares por mês.

Noruega

A Noruega possui um ensino superior diferenciado. Eles possuem um sistema que prioriza menores turmas, facilitando o aprendizado. O país oferece cursos ministrados em inglês, e não cobram taxas de estudantes estrangeiros. Vale lembrar que a Noruega possui um curso de vida muito alto, um dos maiores do mundo. O inverno norueguês também é muito rigoroso. Portanto, é melhor se preparar para enfrentar um clima bem diferente do brasileiro.

»» Work and Travel nos Estados Unidos

Eslovênia

O país oferece cerca de 150 programas que são totalmente em inglês. Além disso, estudantes internacionais pagam apenas uma taxa de matrícula simbólica.

Estudar no exterior pode não ser tão caro assim. Pesquise, analise e escolhe a melhor opção para você.