Work Experience : Entrevista para o visto no consulado americano

Work Experience : Entrevista para o visto no consulado americano

Acreditem. A melhor frase da vida é “Você está aprovada, boa viagem!”. Essa frase significou que o meu grande sonho de viver uma experiência internacional estava, por fim, se concretizando.
Sim. Meu visto americano para o tão esperado Work Experience foi aprovado!



 Sai daqui às 4 hrs da manhã. Peguei fretado e cheguei em SP às 7:30. Peguei metrô, peguei trem, andei uns 40 minutos. E, enfim, cheguei no Consulado Americano. 
Lá na frente já tinha uma “filinha” desorganizada que de inicio eu não entendi. Como meu horário era 11:10, e nem era 10 horas ainda, segui para uma lanchonete que tem lá na frente que oferece um guarda volumes. Foi mais barato que o CASV. No CASV eram 10 reais o armário e no consulado foi 5 reais!
Enfim, fui para a fila da tortura. Foi então que comecei a entender a tal da fila desorganizada. Na verdade, não existe uma fila. A fila só é formada quando o pessoal do consulado chama quem é de determinado horário. Quando eles chamam por exemplo “pessoal das 11:10”, você forma a filinha na frente do Consulado. Nisso eles conferem o documento de agendamento de entrevista e te dão um papel com uma senha. Dai você entra pra segunda do lado de dentro do consulado. Nessa fila são grampeados os documentos (DS 160, DS 2019, Sevis, comprovante de agendamento). Na próxima fila (quanta fila!), tem um pessoal que confere de novo esses documentos, recolhem eles e te dão outra senha. E , advinha? Você segue para a próxima fila. A senha inicial fica com seus documentos!
Depois disso, você passa pela revista. Gente, não adianta querer entrar com celular ou qualquer outra coisa que eles considerem proibidas. Vi um senhor que foi barrado na revista, teve que se retirar pra ir guardar seus pertences no guarda volumes, ou qualquer outro lugar, e enfrentar todas aquelas filas e espera de novo!
Nessa revista entram 4 pessoas de cada vez. Mulher não é revistada ;D Mais precisa colocar os pertences dentro de uma esteira deles lá. Juro, me senti na migração na hora ! Tem uma foto grande do Obama nessa sala, haha.
Depois disso, você segue para o local onde é realizado as entrevistas. Mais antes você precisa ficar fora da fila esperando sua senha ser chamada pra eles devolverem seus documentos. Essa senha não é sequencial, você simplesmente precisa esperar. Eu esperei uns 10 minutos, e fui chamada. Teve gente que entrou junto comigo e só foi chamado 1 hora depois mais ou menos.
Enfim, quando você pega seus documentos de novo, você entra na fila. Parece fila pra montanha russa do Hopi Hari. Da um gelo na barriga, você fica nervoso, só vendo pessoal tendo visto negado, e tendo visto aprovado. E lá é assim mesmo, tudo aberto ! São umas 15 cabines, com vidro, você fica em pé e todo mundo ti vê.
Fiquei reparando na fila que o gordinho da cabine 10 era o mais legal. Dava risada e brincava com todo mundo, e tava aprovando praticamente todos. Fiquei pensando beeem positivo pra ser com ele. E num é que deu certo ! Fui pra cabine 10, fazer entrevista com o americano tipicamente gordinho e simpático! Ele foi bem gente boa, e as perguntas foram simples. Foi assim:
(consul) – Bom dia, tudo bem?
(eu) – Tudo bem, e com você?
(consul) – Tudo bem! Pra onde você está indo ?
(eu) – Palm Springs, California
(consul) – Qual o propósito da sua viagem?
(eu) – Intercâmbio de Work&Travel
(consul) – Oh, ok. Nesse caso, eu vou precisar falar com você em inglês. Tudo bem? * nessa frase ele começou a fala inglês.
(eu) – Ok !
(consul) – Aonde você estuda?
(eu) – Universidade de Sorocaba
(consul) – O que você faz?
(eu) – Ciência da Computação
(consul) – Por quanto tempo você ficará nos USA?
(eu) – 3 meses
(consul) – Seus pais moram aqui ?
(eu) – Sim !
(consul) – Você possui algum conhecido nos USA?
(eu) – Não.
(consul) – Em que ano da faculdade você está ?
(eu) – Terceiro.
(consul) – Com o que irá trabalhar?
(eu) – Food Service
(consul) – Coloca seus 4 dedos da mão direita pra tirar as digitais. Ok, seu visto está aprovado!
(eu) – 😀 
A conversa foi um pouquinho longa né ?! Mais nada tão complicado. E logo de inicio, quando falei que era pra Work anda Travel, ele já carimbo meu DS e começou a assinar. Quando vi isso, senti um alivio enorme e fiquei bem mais confortável pro resto da entrevista 😀
Com todo mundo está sendo assim. Só perguntinhas básicas, sem pedir nenhum documento. Então, don’t worry! Claro, você vai sentir que vai morrer até você ver seu DS sendo carimbado. Mais depois é só alegria!
Boa sorte todo mundo que ainda falta tirar o visto! Tenham sempre em mente que “Everything is gonna be alright” !
Conta bancária americana

Como abrir e manter uma conta bancária nos EUA

Abrir uma conta bancária é essencial para quem está migrando para os Estados Unidos, seja a trabalho ou a estudo. Ou as vezes, até mesmo para turismo.

As quatro maiores redes bancárias americanas são Bank of America, Chase, Citi Bank e Wells Fargo. Eu particularmente não abri minha conta bancária em nenhum destes bancos. Na primeira vez, abri em um banco que ficava bem na frente do hotel onde eu trabalhava. Depois, abri uma conta no Altura Credit Union. Este banco é ótimo para quem está a procura de administrar melhor seu dinheiro, porém é muito pequeno. Só existe agência em Riverside e em Rancho Mirage, na Califórnia.

»» Opções de trabalho nos Estados Unidos



Documentos necessários para abrir uma conta bancária

  • Passaporte
  • Carta matrícula da universidade/Carta do seu empregador
  • Quantia necessária em dinheiro para o primeiro depósito (geralmente de 20 a 50 dólares)
  • Segundo documento de identificação (carta de motorista, CPF, RG)
  • Documentos que comprovem o seu visto (Visa F-1, J-1, HB1)
  • Social Security Number

Conta Corrente e Poupança

Ao abrir sua conta bancária americana, é provável que o agente pergunte se quer dividir seu dinheiro em checking e saving accounts.

Checking account é a conta corrente para depósitos, onde o seu dinheiro será sacado e também na qual suas compras feitas pelo cartão serão debitadas.

Saving account é a conta poupança, que serve para você criar uma reserva.

»» Principais motivos que ocasionam o visto negado

Débito, Crédito e Cheque

Após abrir sua conta bancária, você receberá um cartão de débito e também pode solicitar pelo talão de cheques (menos usado atualmente).

O cartão de crédito é algo muito restrito nos EUA. Para conseguir, é preciso criar um histórico de transações bancárias de aproximadamente 2 anos. E neste período, nunca deixar sua conta negativa e também jamais dever para nenhum lugar. Vale lembrar também, que nos EUA não é possível realizar compras parceladas.

Limite de Conta

Atente-se a um detalhe na hora de fazer a sua conta bancária: o limite. Se você ultrapassar a quantia de dinheiro que tem depositada poderá acontecer de duas uma:

  • Quando você está prestes a ultrapassar o seu limite, o seu cartão é bloqueado, impossibilitando transações na conta ou saques.
  • Se você ficar no negativo, não importa quanto, deverá pagar uma quantia extra para o banco, que costuma ser bem salgada (uns U$200).

»» Visto americano : Dicas para a entrevista no consulado

Alguns bancos deixam o cliente escolher qual melhor opção para o seu limite. Outros trabalham com apenas uma destas opções. Por isso é muito importante checar esta informação na hora de criar a conta para não ter problemas com os seus gastos.

Seguro de Viagens

Seguro de Viagem Internacional – Você sabe como funciona?

Já pensou em ter uma dor de dente terrível na sua próxima viagem ao exterior? Ou quem sabe acabar tendo uma dor de estômago ou aquela gripe de deixar você de cama? Não né. Não pensamos nisso, pois é a última coisa que gostaríamos que acontecesse. Mais pode acontecer! É por isso que é super importante contratar um seguro de viagem.

Geralmente, o custo hospitalar fora do brasil é extremamente caro. Ainda mais com o valor do dólar estourando (hoje 3,79!). Por isso, sem ele você pode acabar em apuros, com uma conta gigantesca hospitalar ou sem dinheiro para comprar roupas extras (caso sua mala seja extraviada).

Hoje o mercado oferece inúmeras opções de seguro de viagem internacional. E é importante analisar qual opção cabe melhor tanto no seu bolso como também no seu tipo de viagem – quanto a cobertura e serviços oferecidos. Olha só algumas dicas para escolher seu seguro de viagem.



Cobertura

Para contratar um seguro, é importante analisar o que está incluso no serviço e qual é o valor de cobertura e de reembolso. Saber se o seguro atende assistência médica e odontológica, seguro bagagem, cancelamento de viagem, assistência jurídica, repatriação, seguro de vida e outros, também deve ser levado em consideração. Se você for viajar para praticar esportes radicais, veja se o seguro a contratar oferece cobertura para isso.

Outra dica, é analisar o custo de vida e regras do país de destino. Por exemplo, na Europa o custo hospitalar é muito alto além de ter um valor mínimo de seguro de viagem obrigatório. Na Índia, apesar dos valores serem em dólares, o custo de vida é muito baixo.

Seguro de viagem obrigatório – Acordo de Schengen

Alguns países da Europa exigem que os turistas contratem um seguro de viagem com cobertura de € 30mil. Estes países estão inclusos no Acordo de Schengen, e na entrada do turista no país geralmente solicitam a comprovação de contratação do seguro.

Os países que estão inclusos no Acordo de Schengen são Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, República Tcheca, Suécia e Suíça.

Seguro de Viagem Gratuito para Portugal, Itália e Espanha

Existe um acordo bilateral Ministério da Saúde Brasileiro com os países Portugal, Itália e Espanha. Esse acordo não tem relação nenhuma com o INSS, por isso não é preciso comprovar contribuição com a previdência social para ter acesso ao atendimento.

Esse acordo oferece o direito a utilização de assistência médica gratuita nestes 3 países mencionados. Pra isso, é preciso retirar um documento chamado Certificado de Direito à Assistência Médica Durante Estadua Temporária (CDAM) antes de viajar. Você pode obter este documento no posto do Ministério da Saúde do seu estado.

Obtenha mais informações através do site do SNA.

Cartão de crédito

Alguns cartões de crédito oferecem cobertura para seguro viagem. Quanto mais cara a anuidade, mais benefícios você terá. O serviço pode incluir seguro de acidentes pessoais e bagagem, e alguns podem até oferecer assistência médica e soluções jurídicas.

Mais fique atento! Alguns cartões de crédito só oferecem seguro de viagem para quem realiza a compra das passagens aéreas com o cartão.

Na viagem

Guarde uma cópia e também mantenha sempre com você anotado o número do telefone internacional do seu seguro e também o número da sua apólice. Quando precisar, ligue para o número e siga as instruções. Alguns seguros também aceitam chamadas a cobrar.

Se for emergência, você pode utilizar a assistência médica sem problemas. Mais guarde todos os documentos do hospital e pagamento, para que depois você consiga pedir reembolso para a operadora de seguros. Verifique o prazo da seguradora para fazer a solicitação.

Perguntas frequentes do formulário DS-160 para o visto americano

Visto Americano – Perguntas frequentes do formulário DS-160

Como mencionei neste post, uma das coisas que ocasionam o visto negado é o mal preenchimento do formulário DS-160. Isso gera inúmeras dúvidas sobre como o devido preenchimento, preenchimento em português ou inglês, se caso tiver algum problema de conexão de internet quando estiver preenchendo o formulário, entre outros. Confira só as perguntas frequentes de preenchimento do formulário DS-160 para o visto!

Veja Mais !Principais motivos que ocasionam o visto americano negado



Onde posso encontrar o DS-160?

O DS-160 pode ser acessado no site Centro Consular de Solicitação Eletrônica ou no link do site dos postos.

As minhas respostas podem ser dadas em minha língua nativa?

Não. Todas as perguntas da solicitação de visto, exceto se especialmente indicado, devem ser respondidas em inglês, usando apenas caracteres do idioma inglês. As solicitações apresentadas em qualquer outro idioma podem ser recusadas, e você poderá ter de enviar outro formulário.

Veja Mais !Agendamento de Visto de Turismo Americano (B1/B2)

Todos os campos do DS-160 são obrigatórios?

A maioria dos campos do DS-160 é obrigatória. Os campos marcados como “Opcional” (“Opcional”) podem ser deixados em branco. Alguns campos também dão a opção de escolher “Does Not Apply” (“Não se aplica”). Se algum campo não se aplicar a você, marque ao lado de “Does Not Apply” (“Não se aplica”). Todos os outros campos devem ser preenchidos: o sistema não permitirá que você envie um formulário com algum campo obrigatório deixado em branco. Nesses casos, aparecerá uma mensagem de erro e uma solicitação para preencher o campo antes de prosseguir. Caso não responda perguntas que se apliquem, seu formulário também poderá ser recusado.

O que acontece se eu precisar interromper o preenchimento de dados?

O tempo de conexão do DS-160 expira em aproximadamente 20 minutos após a interrupção do preenchimento. O fim da conexão tem como objetivo proteger a sua privacidade. Se o tempo de conexão expirar, todos os dados preenchidos serão perdidos. Para se proteger de possíveis problemas com o fim da conexão, salve a solicitação em intervalos regulares durante o preenchimento. Para salvar a solicitação, clique no botão “Save” (“Salvar”) no centro inferior da solicitação de visto. Clicando em “Save” (“Salvar”) você salvará temporariamente a sua solicitação. Para salvar sua solicitação de modo permanente, selecione o botão “Save Applicaton to File” (“Salvar Solicitação para Arquivo”). Depois clique em “Save” (“Salvar”) na janela File Download (“Download de Arquivo”).

Veja Mais !Como tirar o visto para crianças e idosos

Identifique uma pasta em seu computador para salvar o arquivo da solicitação de visto, procure essa pasta e clique em “Salvar” na janela “Salvar Como”. O sistema fará o download da sua solicitação para a pasta especificada. Uma vez terminado o download, você pode clicar em “Fechar” para voltar à solicitação. Depois, você poderá usar a opção “Import Applicaton Data” (“Importar dados da solicitação”) na página “Getting Started” (“Iniciando”) para fazer o upload dos dados que você já havia preenchido.

Entendo que é possível fazer o upload de uma foto para minha solicitação de visto. Como obter uma foto digital para conseguir fazer o upload para a minha solicitação?

Consulte o guia de padrões de qualidade de fotografia para orientação detalhada sobre o uso de câmera digital e requisitos para imagens escaneadas.

A página de confirmação tem um “X” na caixa onde a foto deve ficar. O que isso significa?

Significa que houve falha no upload da foto. Você terá de apresentar uma fotografia impressa conforme os requisitos junto com a página de confirmação do DS-160 on-line. Consulte o consulado ou a embaixada em que você está fazendo a solicitação de visto para obter instruções específicas sobre como anexar sua foto à página de confirmação. Veja o formato da fotografia impressa em Requisitos de Fotografia de Não Imigrante. Se a página de confirmação incluir uma foto, então o upload da foto foi feito e não será preciso uma fotografia impressa.

Por que as edições feitas por mim do link da página de revisão “edit” (“editar”) não foram salvas?

Para salvar alterações de dados feitas dos links da página de revisão, é preciso usar os botões na parte inferior de cada página para navegar em vez dos botões voltar/avançar do navegador ou os botões ao longo da margem esquerda da tela.

Veja Mais !Conheça os tipos de visto americano

Devo salvar minha solicitação antes de enviá-la?

SIM! Se possível, você deve salvar sua solicitação de visto localmente (na unidade de disco rígido ou em CD) antes de enviá-la. Salvar sua solicitação de visto tem duas vantagens. Primeira, se sua solicitação de visto for recusada pelo consulado ou pela embaixada por estar incompleta, isto é, sua solicitação contém respostas não esclarecedoras ou você deixou de responder uma pergunta essencial, você poderá acessar a cópia que salvou, corrigir as respostas que não estavam claras ou as incompletas e enviar a solicitação corrigida sem precisar preencher uma nova solicitação. Segunda, se você for um solicitante de visto frequente, poderá atualizar a sua cópia da solicitação na próxima vez que solicitar um visto e enviar a solicitação atualizada. Isso economizará o seu tempo uma vez que não precisará entrar novamente com informações inalteradas desde a sua última solicitação.

Veja Mais !O que fazer após ter seu visto negado

Como salvar minha solicitação?

Para salvar a solicitação, clique no botão “Save” (“Salvar”) no centro inferior da solicitação. Clicando em salvar você salvará temporariamente sua solicitação. Para salvar sua solicitação de modo permanente, selecione o botão “Save Application to File” (“Salvar Solicitação para Arquivo”). Clique no botão “Save” (“Salvar”) na janela File Download (Download de Arquivo). Identifique uma pasta em seu computador para salvar o arquivo da solicitação, procure essa pasta e clique em “Salvar” na janela “Salvar Como”. O sistema fará o download da sua solicitação para a pasta especificada. Uma vez terminado o download, você pode clicar em “Fechar” para voltar à solicitação. Depois, você poderá usar a opção “Import Application Data” (“Importar dados da solicitação”) na página “Getting Started” (“Iniciando”) para fazer o upload dos dados que você já havia preenchido.

Devo levar minha solicitação de visto completa para a entrevista ou só a página de confirmação?

Você não deve levar sua solicitação completa. Basta a página de confirmação para rastrear os dados de sua solicitação de visto. Você deve levar com você a página de confirmação em todas as fases do processo de solicitação de visto. Sem a página de confirmação, pode ser impossível acessar a sua solicitação e dar prosseguimento ao seu caso.

Vou viajar com minha família ou como membro de um grupo. Posso criar uma solicitação de visto familiar ou de grupo?

Sim. Na página “Thank You” (“Obrigado”) você verá uma opção para criar uma solicitação familiar ou de grupo. Quando selecionar essa opção, determinadas informações da sua solicitação, tais como destino, serão importadas automaticamente para uma nova solicitação. Observe que se você usar essa opção será necessário criar uma solicitação individual para cada membro da sua família que viajará com você ou para cada pessoa do grupo.

Se eu usar a opção na página “Thank You” (“Obrigado”) para criar uma solicitação de visto familiar ou de grupo, é possível alterar dados automaticamente carregados pelo sistema?

Sim. Se um dos dependentes tiver sobrenome ou nacionalidade diferente, por exemplo, o solicitante poderá alterar esses dados na solicitação antes de enviá-la.

Estou solicitando um visto-E. Terei de preencher o DS-160 e o DS-156E?

Depende. Se você for um solicitante de visto-E principal investidor (E-2), tudo o que precisa é preencher o DS-160. Se for um comerciante conforme tratado firmado com os EUA ou um executivo/gerente/empregado essencial precisará preencher o DS-160 e você ou o seu empregador precisará preencher o documento DS-156E. No próximo ano um novo formulário, o DS-161, formulário de Informações para Visto-E de Negócios, será lançado. Esse formulário permite que você ou seu empregador preencha um formulário online e o envie eletronicamente para o Departamento. Até lá, todos os comerciantes conforme tratado firmado com os EUA, executivos, gerentes e empregados essências de um visto-E de negócios deverão preencher e enviar o documento DS-156E.

Veja Mais !Opções de trabalho na América

Onde o novo formulário foi testado no projeto piloto?

O projeto piloto começou em março de 2008 com a participação de 17 consulados testando o novo formulário CEAC.

Quais são os países que já estão usando o novo formulário e quais são as experiências deles?

Alguns países têm mais de um posto. Por exemplo, o México começou com Nuevo Laredo antes de testar o programa na cidade do México, que tem um consulado muito maior.  Assim, em vez de dizer quantos países, eu diria que 110 consulados já estão usando o formulário CEAC.

Como o formulário está funcionando nesses lugares onde já foi adotado?

Em termos de facilidade de uso do formulário, os postos piloto observaram que o DS-160 não apresentou grandes mudanças para os requerentes de visto já que muitos estavam familiarizados com o formato EVAF online. Mesmo os requerentes que não usam a internet regularmente tiveram poucos problemas para se adaptar à mudança.

O requisito de incluir a foto pode fazer com que o processo leve mais tempo dependendo da velocidade da rede de transmissão de computador local.

A maior dificuldade que os consulados tiveram com a mudança foi o fato de ficarem totalmente dependentes da internet para fazer o trabalho com eficiência. Por isso, quero deixar muito claro a importância para os  requerentes de visto planejarem com antecedência. Esse planejamento prévio elimina a maior parte dos problemas e estamos cansados de observar que aqueles que fazem tudo corretamente e com bastante antecedência saem do consulado satisfeitos.

Como o novo formulário vai reduzir o tempo de emissão do visto?

O tempo para a emissão do visto continua o mesmo, mas a longo prazo o nosso objetivo é reduzir o tempo que a pessoa fica no consulado. A adoção desse novo formulário já é parte desse objetivo.

Qual é a diferença no tempo de espera em comparação com o formulário antigo?

Não tem diferença no tempo de espera pelo visto ou no tempo que leva para conseguir uma entrevista. Mas, em alguns casos, requerentes que não conseguiram preencher o formulário DS-160 corretamente não conseguiram concluir a entrevista de visto como programado.

Os requerentes que deram informações incorretas tiveram que preencher um novo formulário DS-160 e, em alguns casos, tiveram que retornar ao consulado em outro dia para serem entrevistados. Por isso, quero insistir sobre a importância de preencher o formulário com muita atenção e com as informações corretas.

Quais são alguns dos motivos para o formulário CEAC ser rejeitado?

Se a pessoa não preencher o formulário em inglês compreensível, não der respostas corretas ou claras às perguntas  (por exemplo, dar um número de telefone 11111111), não responder às perguntas de segurança, tudo isso faz com que seja preciso devolver a solicitação.

Veja Mais ! – Dicas para entrevista no consulado americano

O que o requerente de visto deve fazer se for avisado que o formulário vai ser devolvido?

Ele vai ter que reapresentar o formulário. A embaixada não pode apagar ou modificar um formulário depois que o requerente apertar o botão de ENVIAR ( SUBMIT). Se o requerente salvou o formulário em seu computador, o que achamos muito importante, então ele pode modificar a versão que já está salva, incluir os dados que faltam e então reapresentar o formulário.

O processo para os estudantes mudou?

Antes, os estudantes podiam solicitar o visto antes de ter o número SEVIS, (o número de registro dado pelo Departamento de Segurança Interna – Department of Homeland Security.) Agora, os estudantes têm que incluir o número SEVIS no momento em que estão preenchendo o formulário DS 160. Por isso, eles precisam registrar-se para obter o  SEVIS antes de preencher o formulário. Para dúvidas sobre o SEVIS, favor acessar o site do Programa de Visitantes Estudantes e Intercambistas.

Quantos dias antes da data da entrevista o solicitante deve preencher o formulário CEAC?

Nós recomendamos que assim que fizer o agendamento para a entrevista, o requerente entre na internet e preencha o formulário. Recomendamos que o requerente preencha o formulário no mínimo 72 horas antes da data da entrevista para que a embaixada ou o consulado tenha tempo de notificar o requerente para corrigir qualquer erro que ele tenha feito no formulário antes de chegar para fazer a entrevista.

Outro benefício é que, sendo um programa na internet, quanto mais cedo o formulário for enviado, maior a chance de evitar atrasos que possam surgir devido a problemas de carregamento ou conectividade do sistema.

® Consulado Americano

Work Experience : Trabalho em rede de hotelaria

Work Experience : Trabalho em rede de hotelaria

No programa de Work Experience (ou Work and Travel), é comum você receber propostas para trabalho no setor de hotelaria.

Trabalhar em Resorts e Hotéis podem envolver várias funções que proporcionam o contato diretamente com o customer. Você pode trabalhar indoor (interno) ou outdoor (externo), com a carga média de 6 a 8 horas diárias. E quando a demanda é grande, você pode acabar trabalhando nos finais de semana e feriados.
 
Como as regras variam de estabelecimento, todos os resort/hotéis fornecem treinamento aos seus funcionários (que geralmente essas suas horas são pagas). O bom de se trabalhar com hotelaria é que você ainda pode ganhar as tips (gorjetas) e receber seu uniforme sem nenhum custo – ou uniforme parcial. E ainda, muitos hotéis e resorts possuem a área de Food and Beverage, onde você irá trabalhar em restaurante ou bar dentro do estabelecimento.



Opções de trabalho no setor de hotelaria

  • Beach Attendant
  • Concierge
  • Front Desk
  • Gerenal Cleaning
  • Guest Services
  • Housekeeping
  • Janitor
  • Laundry Attendant
  • Life Guard
  • Maintenance
  • Busser
  • Food Runner
  • Entre outros ..
Trabalhar em hotel pode ser muito interessante. Você pode conhecer pessoas de diversos locais dos Estados Unidos, e até mesmo do mundo inteiro. É uma ótima oportunidade para se aprofundar numa nova cultura e aprimorar ainda mais o seu inglês.
 

Minha experiência na hoteleria durante o Work Experience

Quando fiz meu Work Experience na Califórnia, trabalhei como busser no Hotel Renaissance Palm Springs. Como busser, meu trabalho era limpar e organizar as mesas no restaurante durante o período de buffet de café da manhã. E ainda, os ajudava a servir bebidas e pães e também a limpar e organizar o restaurante após o encerramento do café da manhã. Foi a melhor experiência da minha vida. Não troco por outra!

Continue lendo “Work Experience : Trabalho em rede de hotelaria”

Atitudes que dificultam aprender inglês no intercâmbio

Atitudes que atrapalham o aprendizado do inglês no intercâmbio

Você sabia que existem várias atitudes que podem atrapalhar seu aprendizado do inglês no intercâmbio? Talvez você até conheça, ou já ouviu falar, alguém que estudou no exterior por meses – ou até mesmo anos – e ainda tem aquele inglês arranhado. Isso pode mesmo acontecer. No intercâmbio, muitos estudantes persistem em falar em português para se comunicar com colegas e não levam muito a sério o estudo, tirando totalmente o foco do aprendizado de um novo idioma.



Inglês no Intercâmbio – Atitudes que atrapalham

Limitar o estudo à sala de aula

O desenvolvimento das habilidades de comunicação é gradual, porém é inválido se estiver limitado ao tempo com o professor na sala de aula. Se das 24 horas de um dia, apenas 3 horas forem dedicadas ao idioma, o processo de aprendizagem será muito lento. Isso sem falar dos finais de semana. O contato com o outro idioma durante o intercâmbio deve ser continuo e intenso.

♣ Quanto tempo é preciso para aprender inglês ?

Falar em português

Eu morei com 4 brasileiros e 1 argentina durante meu intercâmbio nos EUA. Comunicar em português dentro do apartamento, ou sempre que nos encontrávamos, era inevitável. Por isso, procurei fazer amizades com os americanos no trabalho, e com isso sempre os chamava para festas no apartamento ou para sair num barzinho ou balada. Isso nos forçava sempre a falar inglês.

Duvidar da própria capacidade

Cada intercambista tem uma habilidade diferente no outro idioma. Alguns tem maior facilidade na fala, outros na escrita. No intercâmbio, cometer erros é essencial para o aprendizado. Por isso, não se intimide ou ache que não é capaz de aprender. Com esforço todos nós aprendemos.

♣ TOEFL e IELTS – Qual é a diferença e qual escolher ?

Não estar aberto ao novo

Ir para o exterior e manter a mente no Brasil. Isso é algo muito comum com intercambistas que sentem dificuldade a se adaptar a uma nova cultura, e procuram ao máximo se manter conectado com o Brasil. Diferenciar as experiências e fazer novas amizades é algo diferencial para sua experiência no exterior. Além de poder fazer amigos para a vida toda, seu processo de aprendizado irá aumentar.

Achar que no intercâmbio o aprendizado acontece naturalmente

Tenho uma amiga mexicana que mora na Califórnia há mais de 20 anos, e ela meramente sabe o inglês básico. Isso porque para aprender um novo idioma você precisa se dedicar, errar e persistir. Frequentar as aulas, estudar em casa e se aprofundar na cultura local é o que irá facilitar seu aprendizado.

Créditos a Catraca Livre e Commons Wikipedia

Tramway Palm Springs - Work Experience : Qual é seu nível de inglês?

Work Experience : Qual é seu nível de inglês?

Com tantas vagas surgindo a cada dia, sempre surge aquela dúvida do que você irá trabalhar. Como será que funciona a escolha da vaga para cada candidato?

Teste de Inglês

Lembra daquele teste de inglês que você fez na sua inscrição para o intercâmbio? Pois é, é através dele que seu consultor de intercâmbio irá avaliar e definir qual é seu nível de inglês.
Em base deste nível, é que os empregadores irão definir a qual vaga você se encaixa melhor.



♣ Meu resumo do Work Experience

Existem funções para todos os níveis de inglês. Existem aquelas que exigem mais conhecimento, que são aquelas ligadas diretamente ao público, e aquelas que não exigem tanto.

♣ Trabalho em rede de hotelaria

Os níveis e as funções são definidos assim:

  • Nível 2: housekeeping, dishwasher, maintenance, janitorial, general cleaning, etc.
  • Nível 3: housekeeping, maintenance, busser, prep cook, food runner, lift attendant, lift operator, host/hostess, ticket checker, etc.
  • Nível 4: rental shop clerk, cashier, retail sales, sales attendant, lift operator, ticket checker, waiter/waitress, hostess, bartender, front desk, recepcionist, administration services, etc.
  • Nível 5: front desk, waiter/waitress, administration services, receptionist, etc.

Continue lendo “Work Experience : Qual é seu nível de inglês?”

Veja como fazer estágio no exterior

Fazer estágio no exterior – Saiba como

Você já pensou em fazer estágio no exterior? O início da faculdade é uma etapa para a realização profissional. Muitos iniciam as aulas já com a expectativa de conseguir um estágio em sua área de atuação, pois é a partir daí que sua carreira profissional terá início.



Estágio no Exterior

Existem diversas vagas de estágio espalhados pelo mundo para as mais diversas vagas de atuação.

Realizar um estágio no exterior, remunerado ou não, pode não ser tão difícil assim. Para conseguir você pode optar por dois meios: por contra própria ou por meio de agência de intercâmbios.

Conta Própria

Se a opção for conta própria, você deverá procurar e entrar em contato com os empregadores de forma independente. Você pode procurar por vagas por meio de diversos sites de emprego do mundo, como o Indeed e o Monster.

»» Países que oferecem visto de trabalho para brasileiros

Assim que conseguir uma vaga, acerte os detalhes de trabalho direto com o empregador. Mas não se esqueça que você terá que reconhecer o acordo de estágio no exterior pelos órgãos dos dois países. Eu recomendo que a parte de documentação seja realizada a partir de uma agência de viagens.

O ponto positivo de realizar a procura de estágio no exterior por conta própria é que você não terá que desembolsar uma baita grana para agências de intercâmbio realizar a busca.

Agência de Intercâmbio

Agora se você optar pela agência de intercâmbio, a procura de emprego será um pouco mais cômoda. As agências irão analisar o seu currículo e ir em busca de vagas de empresas já cadastradas no programa para conseguir uma vaga de estágio no exterior para você. Assim que as vagas forem surgindo, a agência de intercâmbio entra em contato e detalha a oferta de trabalho. Se você gostar, uma entrevista é agendada entre você e o empregador.

Os estágios

Existe vaga de estágio no exterior para todos os ramos de atuação. Só que algumas áreas são mais fáceis de achar vagas do que outras. As áreas de TI, engenharia, turismo, hotelaria e gastronomia tem mais oportunidades lá fora. As ofertas de estágio no exterior podem ser tanto remuneradas como não remuneradas.

»» Estados Unidos – Opções de trabalho na América

A remuneração vareia de país e da área. Na Austrália a média é de US$ 12 a US$ 17 por hora, já nos Estados Unidos é de US$ 10 a US$ 14 por hora.

Pré-requisitos

Veja quais são os pré-requisitos para conseguir um estágio no exterior:

  • Ter entre 18 e 32 anos
  • Nível intermediário de inglês, ou da língua de país de destino
  • Graduação completa ou em andamento
  • Jovens que estão na faculdade ou com até 2 anos de conclusão
  • Profissionais com cinco ou seis anos de mercado

Continue lendo “Fazer estágio no exterior – Saiba como”

Work Experience USA

Intercâmbio Work Experience USA : Como escolhi

Resolvi fazer intercâmbio, e a opção foi o Work Experience USA. Sempre cresci com a ideia que ir para o exterior, seja pra estudar ou trabalhar. Quando a oportunidade chegou, bateu aquela incerteza do que fazer. Revirei a internet em busca de opções e fui em várias agências de viagem em busca de uma ideia.



Work Experience USA

Como na época eu estava fazendo faculdade, me sugeriram o programa de Work Experience USA. Esse intercâmbio é realizado durante as férias da faculdade onde você vai para os Estados Unidos para trabalhar. O período de intercâmbio é de 3 meses de trabalho e você ainda pode ficar 1 mês viajando, entre os meses de novembro a março. E sabe o que é melhor? Você recebe doletas para isso!

»» Estados Unidos – Opções de trabalho na América

Trabalho

Durante o Work Experience USA você tem a oportunidade de entrar de cabeça na cultura americana por trabalhar em resorts, hoteis, parques temáticos, estações de esqui e outros.

»» Work Experience : Feira de Contratação

O processo para conseguir o trabalho consiste em fazer uma entrevista com o empregador lá dos EUA. Esses empregadores já fazem parte do processo do Work Experience. Seu agente de viagens vai te enviar as vagas com a descrição do que irá fazer, quanto irá ganhar e se nesse trabalho tem hospedagem e alimentação inclusa.

Existe uma feira de contratação, realizada geralmente em São Paulo e no Rio de Janeiro. Lá se reuni vários empregadores e participantes que realizam a entrevista, e podem ou não serem aprovados. Ou você pode opinar por realizar a entrevista via Skype, dependendo do empregador.

Eu trabalhei no Hotel Renaissance Palm Springs, localizado em Palm Springs na Califórnia. Meu trabalho era ser busser, que era ajudar o garçom a manter as mesas do restaurante do hotel organizadas. A rotina do trabalho era bem legal. Existia dias que eu praticamente corria de um lado pro outro, e outros que não aparecia um gato tomar café.

»» Meu resumo do Work Experience

Work Experience USA não é mole 

Tem muita gente que desiste do intercâmbio por não aguentar a pegada. As vezes, pode ser que seja o primeiro trabalho da pessoa. E a pessoa simplesmente não aguenta. No meio das pessoas que foram comigo, dois desistiram. Não era o que esperavam e não gostaram do trabalho.

Pode ser também que você vá trabalhar numa estação de esqui no meio dos Estados Unidos, onde a temperatura média é de -30°. E pode ser que sua jornada de trabalho comece às 5 da madruga, tendo que subir lá no topo da montanha pra tirar excessos de neve. Mas já pensou na vista recompensadora que terá do nascer do sol por trás das montanhas congeladas? Ou aprender snow board?

»» Work Experience : Trabalho em rede de hotelaria

Tem opções de trabalho pra todos os gostos, ou todos os frios rs. Então meu conselho é você pensar bastante antes de escolher seu trabalho. Escolha o lugar que vai se proporcionar um melhor bem estar, mas que ao mesmo tempo te proporcione desafios. Eu escolhi o deserto e amei!

Conclusão

Quebrei muitos copos e pratos, meus pés e mãos ficavam esfolados, minhas costas doíam. Tive até mesmo que trabalhar 15 dias diretos no Natal, pois esqueceram de me dar folga. Do outro lado, voltei com a bagagem cheia de amigos pra uma vida inteira, inglês tinindo, conhecimento da cultura americana e várias viagens e momentos que jamais irei esquecer.

Work Holiday Nova Zelandia

Working Holiday : Viaje e trabalhe por um ano na Nova Zelândia

Já pensou em receber um Carimbo no Passaporte e viajar com direito a trabalho por 1 ano na Nova Zelândia?

Work Holiday Nova Zelândia



Desde 2008, em um acordo realizado entre os governos do Brasil e da Nova Zelândia, anualmente são emitidos, de maneira recíproca, um modelo de visto de trabalho e férias, o chamado Working Holiday Visa, que permite que brasileiros viajem e trabalhem legalmente por um ano no país da Terra-Média de O Senhor dos Anéis.

O problema inicial ao planejar uma viagem de longa duração surge com as questões burocráticas que cada país estabelece para liberar seu acesso e permanência.

O passaporte brasileiro é muito bem aceito em – são poucos países que exigem visto prévio de brasileiros para turismo. Mas para permanecer além dos três meses usuais garantidos aos turistas, a história é completamente diferente.

»» 10 países para viajar sem visto

Como conseguir ?

 No caso do acordo brasileiro com a Nova Zelândia, anualmente através do Working Holiday Visa é liberada uma cota de apenas 300 vistos (eis aí o grande problema) que permitem que se consiga trabalho e estadia no país por até um ano. É um visto de trabalho basicamente, com a única restrição que o candidato não seja contratado pelo mesmo empregador por mais de três meses.

O intuito da Nova Zelândia ao liberar esta cota é que você viaje também, afinal é um visto de trabalho e férias. É para isso que você veio e trabalhar seria apenas uma forma de sustentar os gastos com o turismo. No entanto, nada impede que, uma vez no país, caso surja uma proposta de trabalho permanente, que você aplique para um Work Permit, mas isto não vem ao caso no momento.

Limitações

Para conseguir uma das 300 vagas que são abertas anualmente, o potencial candidato deve estar enquadrado em uma série de critérios exigidos, como:

Ter no mínimo 18 e não mais que 30 anos de idade (ps: Isto é válido no momento da candidatura. Logo, se você tem 17 anos deve esperar um pouco mais, mas se já está com 30 ainda pode se candidatar mesmo que chegue na Nova Zelândia já com 31 anos).

 Não viajar com crianças (Não é proibido que se tenha filhos, mas eles deverão ficar no Brasil).

→ Ter uma passagem de retorno ao Brasil ou comprovar ter quantia suficiente para comprá-la.

→ Trazer ao menos NZ$4.200 para bancar seus custos iniciais no país.

Viajar para a Nova Zelândia para tirar férias, o trabalho deve ser sua intenção secundária.

Não ter sido aprovado para o Working Holiday Visa anteriormente (O visto é concedido uma vez só na vida. Se por acaso você foi aprovado anteriormente e desistiu de viajar, já era).

E, caso você já esteja na Nova Zelândia, que tenha um visto válido (Se você ficar ilegal no país em algum momento terá problemas sérios e o Working Holiday Visa não é uma solução para o seu caso, amigo).

O que fazer ANTES da data marcada

O site do governo neozelandês é auto-explicativo, fonte básica e obrigatória de referência, mas podemos dar algumas dicas a partir de nossa experiência que não estão escritas por lá:

Com a cota de apenas 300 vistos e com a quantidade de brasileiros atualmente com condições de viajar ao exterior, desde 2008 as vagas para o Working Holiday Visa têm se esgotado cada vez mais rápido, atualmente sendo preenchidas em questão de minutos.

Como cada minuto conta na disputa pelas vagas, acesse o site da imigração com antecedência e crie seu nome de usuário e senha dias antes do processo para o Working Holiday Visa ser aberto. Criar um cadastro no dia da abertura das vagas pode não só te deixar para trás como o site pode ficar sobrecarregado e nem sequer te permitir começar a preencher suas informações.

O dia de abertura das inscrições

O Working Holiday Visa da Nova Zelândia para brasileiros abre, em geral, no início de Setembro. Em geral porque a data exata muda de um ano a outro, mas um tempo antes a Imigração confirma data e horário exatos do disparo da boiada.

Esteja online no exato momento de abertura das inscrições!

No dia e hora anunciados eles habilitam um questionário que deve ser preenchido – nada muito complexo ou que impeça sua candidatura. São perguntas sobre seus dados pessoais, histórico de saúde, profissional e educacional. Mas todo em inglês o que pode ser uma barreira para quem não domine (ou não tenha um amigo que ajude na hora).

Ao final uma taxa que deve ser paga somente com cartão de crédito (internacional, claro), mas que pode ser em nome de terceiros. 

O que fazer após o pagamento da taxa do Working Holiday Visa?

Caso você tenha feito o pagamento com sucesso, comemore! Isto significa que você está no grupo dos 300 brasileiros que entraram na cota anual do Working Holiday Visa na Nova Zelândia (caso a cota tivesse estourado eles não permitiriam que você efetuasse o pagamento).

A partir deste momento você ainda precisa cumprir algumas etapas para garantir a aprovação do Working Holiday Visa, pois caso contrário sua vaga será passada adiante.

Exame Médico

Passado o sufoco da correria para preencher o formulário e efetuar o pagamento, você receberá um email informando que para finalizar a sua candidatura você deve preencher o formulário INZ 1096, escolher um dos médicos certificados por eles e encaminhar tudo junto a uma chapa de Raio-X provando que você não tem tuberculose, por correio em até 15 dias.

As clínicas certificadas saberão te encaminhar no processo todo de preenchimento deste formulário, mas é fundamental pesquisar preços entre todos os médicos habilitados, pois nenhum deles aceita convênio de plano de saúde e o valor cobrado pelo exame é completamente arbitrário.

A aprovação e concessão do Working Holiday Visa

Enviado o material e o exame médico, basta esperar. O site da imigração permite um acompanhamento online do processo e te fornece email e telefone de contato do agente que cuidará da emissão de seu Working Holiday Visa para que possa tirar alguma dúvida. No nosso caso, duas semanas depois de enviado recebemos a aprovação (uma para cada um em processos separados – não existe visto como “parceiro” no caso do Working Holiday Visa, é cada um por si).

Uma vez com a aprovação em seu email, você terá até um ano para se preparar e chegar à Nova Zelândia para começar sua aventura. Só a partir da data de desembarque os doze meses de vigência do Working Holiday Visa começam a contar.