Dicas e regras para o transporte de animais de estimação em voos

Hello people 🙂

Cada vez mais a necessidade de levar o animalzinho de estimação em viagens é mais frequente. As companhias aéreas estão se rendendo a esta necessidade e por isso criaram algumas regras de transporte de animais.

 

Um dilema comum às famílias que possuem animais de estimação é o que fazer com eles durante uma viagem de férias ou quando é necessária uma mudança de cidade? As quatro principais companhias aéreas brasileiras decidiram investir nesse mercado, oferecendo transporte de animais (cães e gatos) na cabine de passageiros, ou no compartimento de cargas da aeronave. A seguir você conhece dicas, regras e procedimentos para poder voar com o seu pet em sua próxima viagem!

Voar com o um pet não é uma tarefa extremamente simples. Porém, atualmente, é algo plenamente viável. Requer um pouco de planejamento, adaptação do animal e o cumprimento de algumas exigências das companhias aéreas.

Dicas para transporte de animais em vôos
Dicas para transporte de animais em vôos

É importante avaliar as condições do animal antes de decidir leva-lo na viagem e consultar um veterinário. Por mais calmo que seja o seu cão ou seu gato, ou por mais bem acomodado que eles estejam durante a viagem, voar será sempre um fator de estresse. Um sugestão inicial é programar voos diretos e trajetos curtos, na medida do possível. Isso diminui a ansiedade dos bichanos e de seus donos, bem como a chance de desidratação, um dos riscos de saúde que os animais correm durante uma viagem de avião.

Dicas para viajar com seu pet
Dicas para viajar com seu pet
 

Veja só as regras de transporte de animais

  1. Informe-se das regras de transporte de animais da companhia aérea antes de comprar a passagem. Algumas empresas que não permitem o transporte de animais na cabine e tem restrições para o transporte no porão;
  2. Verifique a documentação de vacinação do seu animal. É necessário apresentar o certificado de vacinação antirrábica (para animais com mais de 3 meses de idade), aplicada entre 30 dias até 1 ano antes da data do embarque. Caso a vacina esteja vencida ou não seja possível comprovar a vacinação (como acontece em campanhas públicas), é necessário reaplica-la pelo menos 30 dias antes do voo;
  3. Procure a bolsa ou caixa de transporte mais adequada em petshops ou lojas especializadas. A caixa de transporte precisa ser resistente, bem ventilada e com tamanho adequado ao animal. Leve as especificações da companhia aérea para medir e comparar as dimensões na loja. Lembre-se que o animal precisa de espaço para se movimentar e que vai ficar naquele espaço durante toda a viagem;
  4. Uns 15 dias antes da viagem inicie a adaptação do animal a bolsa ou caixa de transporte. É uma etapa muito importante. Alguns procedimentos sugeridos nos sites das companhias aéreas podem ajudar muito nesse processo:
    • Torne a caixa de transporte um local familiar para o animal. Deixe-a sempre aberta, acessível e o tempo todo disponível em um local da casa onde o animal costuma ficar;
    • Faça dela um local de experiências agradáveis, oferecendo petiscos dentro dela, ossos para roer e brinquedos;
    • Diariamente, ofereça ao menos uma das refeições de seu animal na caixa de transporte e, à medida em que ele se mostre confortável enquanto come lá dentro, feche a portinha. Abra quando o animal terminar. Gradativamente, aumente o tempo em que ele permanece dentro da caixa, mesmo já tendo finalizado a refeição supervisionando o processo;
    • Uma vez acostumado com o esquema de alimentação dentro da caixa de transporte, comece a colocar o animal dentro dela em outros momentos, preferencialmente quando estiver tranquilo. Procure manter-se afastado, para que o animal vá também se acostumando com a sua ausência enquanto confinado;
  5. Cerca uma semana antes do voo procure um veterinário e peça o atestado de saúde para viagens aéreas para o seu animal. Cada companhia tem sua regra, mas atestados emitidos no máximo 10 antes da data do voo são aceitos por todas as empresas nacionais. É também uma boa oportunidade para avaliar as condições de saúde do animal antes da viagem;
  6. Calmantes não são recomendados em viagens de avião, pois podem provocar efeitos colaterais, tais como sedação excessiva, relaxamento muscular ou até excitação e ansiedade paradoxal. Só utilize se for expressamente recomendado pelo veterinário;
  7. Na véspera da viagem, recomenda-se dar banho e aparar as unhas do animal. Ofereça alimentos leves no dia da viagem. A última refeição deve ocorrer 2-3 horas antes do embarque, para evitar enjoos. Água pode e deve ser oferecida à vontade, inclusive no aeroporto, logo antes do embarque.
  8. Caso o animal vá no porão, identifique-o e identifique também a caixa de transporte. Utilize um tapete higiênico para forrá-la e deixe uma pequena peça/pedaço de roupa com ele dentro da caixa;
  9. Leve a coleira e passeie com seu cão um pouco antes do voo. Incentive ele a urinar/defecar. Dê água;
  10. Evite embarcar com muita antecipação, a menos que o animal não se mostre tranquilo no ambiente do aeroporto. Brinque e ofereça carinho a ele. Vai ajuda-lo a relaxar;
  11. No porão, as caixas de transporte são mantidas presas no chão por cordas e cintos. O local tem a mesma pressurização da cabine e é iluminado. Se o animal estiver viajando na cabine, ele deverá ser colocado abaixo do assento e deve permanecer dentro da caixa durante toda a viagem;
  12. No desembarque, caso tenha viajado no compartimento de carga, o animal será retirado do avião e colocado na área de retirada das bagagens. Ele não será colocado na esteira.
A seguir você conhece em maiores detalhes os procedimentos para voar com o seu pet nas 4 maiores companhias aéreas brasileiras:
 

Avianca Brasil

A Avianca aceita apenas cães e gatos transportados na cabine de passageiros. Não é permitido o transporte no porão. A empresa limita o transporte de 3 animais por voo sendo 1 por passageiro e por embalagem, exceto no caso de ninhada (separada da mãe), pertencente à mesma fêmea. Filhotes com idade inferior a oito semanas não serão aceitos devido aos efeitos de desidratação causados pelo transporte aéreo.

O animal deve ser acomodado em um pet contêiner, que deve atender as seguintes especificações: Altura = 25 cm; Largura = 26 cm; Comprimento = 40 cm. O peso do animal + pet contêiner não pode exceder 8 kg. Caso o peso máximo seja ultrapassado, a Avianca não fará o transporte do animal.

Com exceção ao cão-guia, que é isento de taxas, o custo do transporte de animais na cabine é de R$ 200,00 (taxa fixa). A cobrança é válida por trecho (Origem – Destino, não se aplicam cobrança por escalas e conexões). O serviço deve ser solicitado na central de atendimento no 4004-4040.

Saiba mais sobre as regras de embarque para pets na Avianca Brasil.

Azul

A Azul aceita apenas cães e gatos transportados na cabine de passageiros. Não é permitido o transporte no porão. A empresa limita o transporte de 3 animais por voo sendo 1 por passageiro e por embalagem. Filhotes (de cães/gatos) com idade inferior a doze semanas são aceitos. O peso total (animal + container) deve ser de, no máximo, 5 kg.

O animal deve ser acomodado em um pet contêiner, que deve atender as seguintes especificações: Altura = 20 cm; Largura = 31,5 cm; Comprimento = 43 cm.

A taxa cobrada é de R$ 200,00 (duzentos reais).

Saiba mais sobre as regras de embarque para pets na Azul.

GOL

Na cabine de passageiros
Junto com a caixa de transporte o pet deve pesar até 10kg, acima deste peso não poderá ser transportado na cabine de passageiros.
A embalagem para transporte precisa seguir determinações de padrão internacional, indicadas pela IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo ) e na GOL são permitidos dois tipos de embalagens: o kennel rígido ou o flexível, resistentes a vazamentos. As dimensões deles devem ser de, no máximo:
Kennel rígido: 22cm de altura x 43cm de profundidade x 32cm de largura, conter dados de identificação do dono do bichinho, resistente, feito de fibra ou plástico rígido;
​Kennel flexível: 24cm de altura x 43cm de profundidade x 32cm de largura, conter dados de identificação do dono do bichinho, com estrutura rígida interna para que fique firme, além de ser de material impermeável;

A GOL não transporta animais em:
voos com mais de uma conexão, neste caso o animal deverá ser transportado como carga;
voos de companhias parceiras;
voos interline e codeshare;
voos para Estados Unidos.

No porão
Caso seu bichinho de estimação ultrapasse as dimensões ou peso máximo para viajar na cabine não se preocupe, ele voa com você, apenas em outro ambiente.
Até 30 kg – no porão dianteiro da aeronave, que possui a mesma pressurização e temperatura da cabine de passageiros. Para o transporte, é cobrada uma taxa no valor de R$ 90,00 (noventa reais) por trecho, mais o peso total do animal junto com a caixa de transporte, multiplicado pelo valor correspondente a 1% da tarifa cheia vigente no dia do embarque do trecho a ser voado. É importante lembrar que as dimensões da caixa de transporte do animal não podem ultrapassar 86cm (A) x 122cm (L) x 135cm (C).

Acima de 30 kg – Neste caso, a viagem é feita pela Gollog, o serviço de cargas da GOL. A GOL não transporta no compartimento de carga caninos e felinos braquicefálicos.

Saiba mais sobre as regras de embarque para pets na GOL.

TAM

O transporte aéreo de animais é permitido apenas para cães e gatos, e pode ser realizado de duas formas:
Na cabine de passageiros, somente em Classe Econômica, não sendo permitido no Espaço +:

A caixa deve seguir as seguintes limitações: o peso total não deve exceder 7kg e as dimensões máximas permitidas são 36cm de comprimento, 33cm de largura e 19cm de altura para caixas rígidas e 36cm de comprimento, 33cm de largura e 23cm de altura para caixas soft “sacolas”
No compartimento de carga:

A caixa deve seguir as seguintes limitações: o peso total não deve exceder 45 Kg em voos de/para América do Norte e América do Sul e 32 Kg em voos de/para Europa. As dimensões máximas permitidas são 94cm de comprimento, 64cm de largura e 61cm de altura. Algumas raças de cães e gatos possuem restrições, como animais de focinho curto, chamados braquicefálicos.

Ambas opções possuem controle de temperatura e pressão, e no compartimento de carga a iluminação é mantida.

De modo geral, a caixa de transporte precisa ser resistente, bem ventilada, com tamanho adequado ao animal (para que ele consiga dar uma volta completa em torno de si), não pode abrir facilmente, a porta não pode estar trancada com cadeado ou lacre, deve haver um pote acessível por fora para o fornecimento de água, deve estar forrada com material absorvente (jornal, por exemplo), mas sem outros objetos soltos, deve ter alças, não pode ter rodas.

A documentação para voos internacionais varia de acordo com o país de destino. Confirme qual a documentação exigida no site da TAM.

Para realizar sua reserva, entre em contato com a Central de Vendas 4002-5700 (capitais) e 0300 570 5700 (todo o Brasil), com antecedência superior a 48 horas do horário do voo, quando o transporte for no porão e com 24 horas de antecedência quando o transporte ocorrer na cabine junto com o passageiro. No caso de conexão com outras companhias aéreas, a aceitação do animal dependerá de prévia consulta e da autorização das mesmas.

Saiba mais sobre as regras de embarque para pets na TAM.

—-

E se o voo atrasar?

O horário de decolagem do voo é checado no momento do check-in. Em caso de voos com conexão em atraso, os funcionários da empresa são orientados a fornecer ao animal água e comida, se necessário.

E você, já voou ou pretende voar com o seu animal de estimação? Como foi sua experiência?

 
See you guys!!

Originally posted 2015-07-29 12:25:00. Republished by Blog Post Promoter

COMMENTS

Deixe um comentário